Comissão da ALERJ vai se reunir com o Governador para buscar fim da greve dos policiais

21032017_122254comseguranca_geral_ThiagoLontra_21_03_17

Na próxima segunda-feira (27/3), a Comissão de Segurança Publica e Assuntos de Polícia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vai se reunir com o governador do estado, Luiz Fernando Pezão para encontrar uma solução para a greve da Polícia Civil. A decisão foi anunciada nesta terça-feira (21/3), durante audiência pública que contou com a presença do secretário de Estado de Segurança Pública, Roberto Sá. “É necessário que o governo apresente uma pauta de negociação que permita que eles possam sair dessa greve”, disse a presidente da comissão, deputada Martha Rocha (PDT).

A categoria que está parcialmente paralisada desde o dia 20 de janeiro e reivindica o pagamento do 13º salário, das horas extras de mais de seis meses e de verbas alimentares, cobrou um calendário de pagamentos, mas o secretário não soube responder. “Eu não tenho como passar um calendário de pagamentos, quem detém esse poder é o governador”, ressaltou o secretário.

Pagamentos atrasados desde 2015

Segundo Roberto Sá, são necessários R$ 82 milhões para quitar o pagamento do 13º salário, do Regime Adicional de Serviço (RAS), que não é pago desde agosto de 2016 e do Sistema de Metas, que não é repassado desde o mês de dezembro de 2015. “É dever do governo honrar com as remunerações, mas devido ao estado de calamidade pública decretado, há uma dificuldade em fazer esses pagamentos”, explicou o secretário. Ainda de acordo com ele, o diálogo com a categoria é sempre priorizado e as demandas são justas e legítimas. “Não estão sendo atendidas por incapacidade financeira”, ressaltou.

De acordo com o presidente da Coligação dos Policiais Civis do Rio (Colpol), Fábio Neira, a expectativa é de que esse encontro com o governador possa trazer algum alento para a classe. “Queremos que o estado nos dê um calendário, que aponte uma saída, não nos informaram uma data, nada. A polícia só está atendendo aos casos urgentes e graves e o que a gente espera é que esta Casa faça a ligação com o governo, para que nos apresente alguma solução e um calendário “, disse Neira.

Secretário de Fazenda não atende à convocação da comissão

A deputada Martha Rocha reclamou a ausência do secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Barbosa. “Ele foi convocado e não veio. A comissão vai decidir se vai reconvocá-lo ou adotar outras medidas previstas na legislação”, disse a parlamentar. Segundo ela, a presença do responsável pela pasta era fundamental. “Ele que é o gestor financeiro do governo tinha o dever de estar aqui, já que o secretário de Segurança diz que não tem a caneta para decidir sobre a questão das remunerações”, afirmou.

A reunião com o governador será no Palácio Guanabara, às 11h.

Visualização da matéria em seu veículo de origem.